Conflituoso ou inconformista? Saiba como usar a comunicação a seu favor.

Independentemente da área em que trabalha ou da função que desempenha, saber comunicar pode fazer toda a diferença. Saiba como evitar rótulos e alguns mal-entendidos no ambiente de trabalho.

Ao primeiro rumor de conflito desconfie. Ao jornal espanhol “El Economista”, Guillem Recolons, parceiro da Soymimarca, afirma um elemento conflituoso «tira a eficácia de toda a equipa» e é por isso que o especialista insta as empresas a tentarem identificar e agir rapidamente contra funcionários tóxicos.


Por outro lado, Isabel Iglesias, diretora do Sirania, faz notar que as empresas não estão interessadas em admitir que têm colaboradores conflituosos, porque «julgam que isso pode passar a mensagem de que não foram capazes de gerir a situação«. Por isso, «mesmo que os tenham identificados, muitas vezes toleram-nos sem perceber o mal que essa pessoa faz à equipa», lamenta.


Há, no entanto, situações em que o rótulo de conflituoso nem sempre é devido. «Em empresas muito rígidas este rótulo chega a ser atribuído só por alguém dizer não a algo, por questionar o chefe ou por partilhar a sua opinião», diz, por sua vez, Eva Collado, especialista em Recursos Humanos, que enaltece o papel dos inconformistas.


As empresas precisam de talentos que pensem, que questionem o status quo, os padrões, os processos e as diretrizes que não sejam substanciadas. Precisam de pessoas que contribuam e lutem para dar valor acrescentado», diz.


Collado queixa-se ainda do facto de esses comportamentos serem desencorajados, mas lembra que, por norma, o problema não é tanto a opinião, mas a forma como ela é expressa. «Para que uma opinião não seja interpretada como um teste e não se vire contra nós, deve ser sempre feita pela via do diálogo.»


Esta é uma visão com a qual Guillem Recoletos concorda. «Se alguém não diz ‘sim’ a tudo o que o chefe diz, mas justifica, apresenta contra-propostas e proporciona uma visão enriquecedora não deve ganhar o rótulo de conflituoso», defende.


Isabel Iglesias refere igualmente que a capacidade de comunicação é a salvaguarda que permite a um profissional dizer o que pensa sem fazer soar os alarmes na chefia.


«Quando nos expressamos assertivamente estamos a dar uma base muito sólida aos nossos argumentos (…), ganhamos credibilidade e, no mínimo, geramos debate. Talvez nem venham a entender a ideia, mas, pelo menos, vão considerá-la.»


Fonte:

https://hrportugal.sapo.pt/conflituoso-ou-inconformista-saiba-como-usar-a-comunicacao-a-seu-favor/

3 visualizações0 comentário