Gestão do tempo: o que é e como aplicar no ambiente de trabalho



Seja na vida pessoal ou no ambiente de trabalho, uma coisa é certa: o tempo parece estar passando cada vez mais rápido.


Como é a sua realidade?


Para a maior parte dos profissionais do mundo moderno a resposta tende a ser a mesma: existe, sim, uma restrição de tempo para dar conta de tudo – até porque não envolve apenas a vida profissional.


Compromissos relacionadas ao trabalho, relacionamentos, educação, família e saúde competem entre si.


As pessoas que conseguem administrar os processos de forma eficiente são reconhecidas no meio em que atuam por sua produtividade.


E não poderia ser diferente, já que seu desempenho individual contribui para melhores resultados coletivos.


Mas como elas conseguem?


Existem técnicas de gestão do tempo, as quais passam por planejamento, organização e disciplina.


Também há ferramentas e mesmo exercícios do controle consciente do tempo empregado em cada atividade.


Se você percebe que existe potencial para melhorias nos seus resultados (e sempre há), dentro e fora do trabalho, não deixe de acompanhar este artigo até o fim.


Além dos benefícios profissionais voltados à carreira que podem ser alcançados, a correta gestão do tempo permite evoluir na qualidade de vida e nos relacionamentos pessoais.


O que é gestão do tempo ?


A gestão do tempo é um processo de priorização e organização de tarefas que envolve seu planejamento e execução voltados ao melhor aproveitamento do tempo investido nelas, o que resulta em maior produtividade e eficiência.


Como conceito, ela é muito bem definida na condução de projetos como fator determinante para a sua conclusão, junto com escopo e custo.


Uma técnica de gestão do tempo inclui um conjunto de tarefas, processos e decisões com foco na coordenação de objetivos administrados dentro de limitações de tempo.


Nas organizações modernas, é vista como uma ciência para identificação e custeio das atividades com foco na eliminação de desperdícios.


Um bom exemplo é o modelo OKR onde é possível determinar metas sendo como “Eu vou” (Objetivo) “medido por” (conjunto de resultados-chave).


Na vida pessoal, não é diferente.

O que difere quando estamos fora das empresas é que dificilmente sabemos calcular o valor do tempo.


Dessa forma, o valor de um ano, mês, semana, dia, hora, minuto ou segundo pode variar quando convertido em ações, ganhos, oportunidades ou renúncias que fazem parte da vida.


Contudo, é importante entender também que dar valor para o tempo não significa abdicar do controle da vida em detrimento do relógio.


O objetivo do gerenciamento consciente do tempo é conduzir as rotinas para produzir resultados no trabalho, mas também para ter tempo livre para o descanso e para momentos de descontração.


Os objetivos de cada pessoa podem ser diferentes.


Por que é importante a gestão do tempo ?


Nas últimas décadas, temos percebido um movimento constante de aumento da importância dada ao tempo nas decisões.


A dimensão temporal adquiriu maior relevância por conta da expansão da competição global, da aceleração das atividades e das pressões provenientes das pessoas e dos relacionamentos.


Antes do advento da chamada Revolução Digital (ainda em curso), existiam lacunas de tempo de espera que eram compreendidas e respeitadas por todos durante a realização de tarefas.


Se a redação de um documento levava um turno inteiro de trabalho, não seria esse um motivo para o gestor se mostrar impaciente. Afinal, era o que podia ser feito com a tecnologia existente.


Mas a onipresença da informação transformou intervalos de tempo em minutos produtivos, levando a espera passiva a reverter em possibilidades de ganhos e melhores resultados.

Bilhões de smartphones nas mãos das pessoas romperam barreiras e eliminaram restrições físicas ou de acesso.


A tecnologia permitiu que o tempo de deslocamento, por exemplo, fosse convertido na conclusão de relatórios, no envio de e-mails, na oportunidade de um curso de idiomas e até mesmo na manutenção de relacionamentos.


As facilidades proporcionadas pelos recursos tecnológicos atuais “borram” as linhas divisórias entre os momentos da vida, confundindo as prioridades e nos permitindo sacrificar elementos essenciais que trariam equilíbrio. É por isso que a gestão do tempo é tão importante.