Economia colaborativa: o futuro está na construção da confiança!

January 25, 2017

Cada vez mais pessoas, empresas e governos investem na colaboração, criatividade e no compartilhamento para inovar e oferecer soluções sustentáveis

 

Um novo modelo que está revolucionando a forma de utilização de produtos por parte dos consumidores é a chamada economia colaborativa, que tem um processo descentralizado, onde cada um faz um pouco em torno de uma causa. A Wikipédia, por exemplo, permite que pessoas do mundo todo se conectem para escrever artigos sobre diversos assuntos na enciclopédia digital.

A estrutura da economia colaborativa se baseia, em parte, na aplicação de novas tecnologias para estabelecer redes de troca, aluguel, leilões, ou de comunidades que têm como objetivos compartilhar bens, espaços e serviços. O advento tecnológico, o acesso a diferentes plataformas e a acessibilidade à informação proporcionaram essa inovação nos negócios baseados na troca.

Os consumidores revelam um desejo generalizado e partilhado, em todo o mundo, de encontrarem soluções que ampliem o acesso a bens e serviços que satisfaçam as necessidades da sociedade. Esse modelo permite que todos sejam tanto consumidores como produtores.

A crescente preocupação com o meio ambiente fez com que as pessoas descobrissem e promovessem o consumo colaborativo, priorizando a reutilização de objetos que ninguém mais usa, em vez da aquisição de novos.

Existem dois fatores que podem gerar ameaças ao crescimento da economia colaborativa: falta de normas que regularizem esses novos negócios e a desconfiança que ainda ronda esse mercado, que acaba sendo uma consequência do primeiro.

Para que a economia colaborativa tenha um futuro promissor, inclusive no Brasil, é preciso que os participantes ofereçam excelência de atendimento. A confiança vem justamente daqueles que experimentam o compartilhamento, ajudando a construir a reputação do que está sendo ofertado. Como diz Rachel Botsman, escritora e autoridade reconhecida no debate sobre colaboração, a moeda da nova economia é a confiança e o que chama de “capital de reputação”.

 

Cintia Bortotto é Diretora de RH da Stefanini, quinta empresa mais internacionalizada segundo Ranking da Fundação Dom Cabral 2016

 

Fonte: http://www.mundorh.com.br/economia-colaborativa-o-futuro-esta-na-construcao-da-confianca/

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 4, 2019

November 4, 2019

November 4, 2019

November 4, 2019

November 1, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga 
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Basic Square

Apoiamos Profissionais Táticos e Executivos com coaching nas fases de crescimento, transição e mudança de carreira, fornecendo as ferramentas metodológicas, comportamentais e culturais para maximizar extremamente as possibilidades de sucesso.

IBRA Outplacement. Todos os Direitos Reservados.

Contatos

Telefone Geral: (31) 3018-2333

Whatsapp Business      (31) 3018-2333