A pergunta mais importante da sua vida, segundo Tim Cook

August 8, 2017

Falando a formandos do MIT, CEO da Apple disse que se perguntou sobre propósito durante 15 anos da carreira, até que conseguiu uma resposta.

 

Tim Cook já havia atuado como CEO temporário algumas vezes antes da morte de Steve Jobs, quando o chefe tirava licenças médicas. Mesmo Jobs, sempre difícil de agradar, considerava que ele estava indo bem.

Por isso, quando a decisão precisou ser tomada de vez pela Apple, em 2011, a escolha de um sucessor foi rápida. Cook pode não ter a mesma habilidade de empolgar os outros que Jobs tinha, mas é claramente tão apaixonado pela empresa quanto seu cofundador fora.

Em um discurso aos formandos do Massachussetts Institute of Technology (MIT) – uma tradição conhecida como commencement address –, uma das instituições de ensino superior mais prestigiadas do mundo, ele relembrou sua trajetória e como se sentiu aliviado ao se ver em harmonia com os valores da Apple.

Pensando no papel cada vez mais importante da tecnologia no futuro da humanidade, ele também pediu aos recém-formados – muitos deles trabalham no ramo – que não se esqueçam de trazer humanidade às suas criações.

“A tecnologia é capaz de fazer coisas incríveis. Mas não quer fazer coisas incríveis. Não quer nada. Esse aspecto precisa de todos nós”, avisou.

Abaixo, você pode assistir ao discurso na íntegra e ler os melhores momentos em português, em tradução do Na Prática:

O discurso de Tim Cook no MIT

Haverá dias em que você vai se perguntar: “Onde tudo isso está indo?”, ”qual é o meu propósito?”

Serei sincero: me perguntei a mesma coisa por quase 15 anos.

Talvez falando sobre minha jornada hoje eu possa economizar algum tempo para vocês.

A luta para mim começou logo cedo. No ensino médio, pensei que tinha descoberto o propósito da minha vida quando pude responder a seguinte pergunta: ”O que você quer ser quando crescer?” Não foi o caso.

Na faculdade, pensei que tinha descoberto quando consegui responder: “No que você vai se formar?” Não.

Pensei que talvez eu tivesse descoberto quando encontrei um bom trabalho. Então pensei que só precisava obter algumas promoções. Isso também não funcionou.

Eu continuei me convencendo de que estava no horizonte, na próxima esquina. Nada funcionou. E isso realmente estava me afetando. Parte de mim continuou empurrando para a frente. E a outra parte perguntou: “Isso é tudo mesmo?”


Fiz minha pós-graduação na Duke University em busca de respostas. Tentei meditar. Busquei a religião para me guiar. Li grandes filósofos e autores. E, num momento de indiscrição de juventude, posso até ter experimentado um Windows PC – o que obviamente não funcionou.

Após inúmeras idas e vindas, finalmente, há vinte anos, minha busca me trouxe à Apple. Ao mesmo tempo, a empresa estava lutando para sobreviver. Steve Jobs tinha acabado de retornar e lançado a campanha ‘Think Different’.

Ele queria empoderar os malucos – os desajustados, os rebeldes, os que causam problemas, os parafusos redondos nos buracos quadrados – para que fizessem seus melhores trabalhos. Se pudéssemos fazer isso, Steve sabia que realmente mudaríamos o mundo.

Antes daquele momento, eu nunca tinha encontrado um líder com tanta paixão ou encontrado uma companhia com um propósito tão claro e atraente: servir a humanidade. Era simples assim. Servir a humanidade.

E foi naquele momento, após 15 anos de busca, que algo clicou.

Finalmente me senti alinhado. Alinhado com uma empresa que uniu um trabalho desafiador e de ponta com um propósito maior. Alinhado com um líder que acreditava que a tecnologia que ainda não existia poderia reinventar o mundo de amanhã. Alinhado comigo mesmo e com minha própria necessidade profunda de servir algo maior.

 

http://exame.abril.com.br/carreira/a-pergunta-mais-importante-da-sua-vida-segundo-tim-cook/

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 4, 2019

November 4, 2019

November 4, 2019

November 4, 2019

November 1, 2019

Please reload

Arquivo