Qual a relação entre trabalho e esgotamento mental?

September 5, 2019

Com mais informações e um questionamento franco é possível combater o esgotamento mental e transformar as relações construídas com o trabalho.

O trabalho tem causado esgotamento mental no profissional brasileiro. Na prática, a maioria dos funcionários sofreu algum problema de saúde mental por conta do trabalho. Essa é uma das conclusões do mapeamento feito pela Talenses com mais de 1.400 pessoas.

 

 

De acordo com o levantamento, 49% dos entrevistados já sofreram crises de ansiedade; 44% afirmaram que tiveram Síndrome de Burnout – um esgotamento mental ocasionado por estresse profissional. Entre os profissionais que participaram da pesquisa, 70% declaram que o trabalho tem contribuído fortemente para essa situação.

 

 

Entre os fatores que detonam essa precariedade na saúde mental, destaque para pressão por resultados (61%); excesso de horas trabalhadas (55%) e acumulação de funções (55%). Há, também, insatisfação com o ambiente corporativo (40%); para 31%, o fator estressante foi um assédio moral sofrido no trabalho.

 

 

O fato é que a saúde mental do brasileiro é um grande tabu. Os gestores mais tradicionais acreditam que o trabalho não é o ambiente adequado para expressar emoções. Como resposta, para a maioria dos profissionais no mundo, o local de trabalho não tem os elementos fundamentais que nos fazem prosperar como seres humanos.

 

Não é o local para desenvolvermos práticas básicas como respeito, oportunidades de crescimento pessoal e de conquistas; não favorece a formação de uma comunidade acolhedora e um senso de significado. Em contrapartida, o funcionário contemporâneo espera um ambiente de negócios com valores além do salário e plano de carreira. Como resultado dessa expectativa, sobretudo das novas gerações, os líderes têm o desafio de criar uma cultura proeminente para todos.

 

 

Para os brasileiros que estão questionando essa lógica, recomendo o livro A Great Place For All, de Michael C. Bush e a equipe da consultoria global – responsável pela pesquisa Melhores Empresas para Trabalhar em mais de 50 países. A obra é um chamado para que as organizações desenvolvam cada grama de potencial humano e saibam extrair o melhor de todos e para todos.

 

O livro mostra que para a maioria das pessoas do mundo, o local de trabalho não tem os elementos fundamentais que nos fazem prosperar como seres humanos – coisas básicas como respeito, oportunidades de crescimento pessoal e de conquistas; a formação de uma comunidade acolhedora e um senso de significado. Em contrapartida, o funcionário contemporâneo espera um o ambiente de negócios com valores além do salário e plano de carreira. Como resultado dessa expectativa, sobretudo das novas gerações, os líderes têm o desafio de criar uma cultura proeminente para todos.

 


Por meio de histórias inspiradoras e pesquisas abrangentes, os autores revelam que um Great Place to Work For All beneficia os indivíduos que nele trabalham e contribuem para uma sociedade global melhor. A maximização do potencial humano é imprescindível para o sucesso e as organizações devem despertar o que há de melhor em todos por meio de valores, liderança eficaz e confiança – de forma a inovar e crescer.

 

Acredito que com mais informações e um questionamento franco, podemos combater o esgotamento mental e reescrever a nossa relação com o trabalho.

 

Fonte:

https://administradores.com.br/noticias/qual-a-rela%C3%A7%C3%A3o-entre-trabalho-e-esgotamento-mental

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 4, 2019

November 4, 2019

November 4, 2019

November 4, 2019

November 1, 2019

Please reload

Arquivo